Amores ignorados

Outro dia um amigo estava conversando comigo e disse:

– Gosto muito da Júlia, mas ela, mesmo sabendo disso, às vezes parece me ignorar. Não sei se ela está se fazendo de difícil ou o quê. Queria ir atrás, mas sei lá… Se ela não me dá retorno nenhum e não me chama no Whatsapp, deve ser um sinal claro de que eu devo me manter afastado.

E ele tem razão! As formas de comunicação hoje são diversas: redes sociais, email, mensageiros… Não dá para dizer que perdeu um contato.

Há alguns anos poderíamos dizer calmamente:

– Poxa, perdi seu telefone e por isso não consegui te ligar.

Hoje, esta desculpa entrou no hall das esfarrapadas. Se um aparelho formatado perde os contatos da agenda, existe a nuvem para salvar os dados e também a mensagem direta por rede social, que ajuda a manter e recuperar contatos.

Se só uma pessoa decide remar sozinho um barco com dois remos e igual número de tripulantes, a embarcação tende a ficar no mesmo lugar ou talvez seja uma tarefa difícil para quem decidir remar.

Um sentimento não sobrevive apenas com likes e comentários. É preciso atenção, cuidado, vontade e desejo dos dois lados. E se um lado não oferta esses elementos tão simples, o amor existe apenas de um lado e a insistência, por mais que seja bonita na ficção, na vida real nem sempre funciona e só traz dor para aquele que se entrega às dores dos amores ignorados.

Deixe uma resposta