Amor em tempos de likes

Chegou em casa. Era sexta-feira e o sol acabara de cair no horizonte há poucos minutos. A noite chegava e com ela o silêncio.

Abriu o Facebook e sua grande paixão havia acabado de postar uma frase. Ele curtiu, assim como tudo que ela postava.

Se limitava a isso, tentando demonstrar que estava interessado.

Tinha medo de chegar e conversar, de dizer o quanto ela era importante para a vida dele. Já estava moldado por uma regra cruel que diz que os amantes e românticos são piegas, que ensina que amar é perder tempo quando na verdade o amor não nos faz perceber o tempo passar.

O amor anula o tempo, já diz a música. Mas a solidão faz o tempo parecer se arrastar.

Ele foi até a geladeira, pegou uma cerveja.

Bebeu.

Depois pegou outra, outra e mais outra.

Após a décima garrafa, ele deitou e tentou dormir para ver se o tempo passava mais rápido.

Dormiu.

Acordou de madrugada.

Tinha medo de tentar. Tinha medo de tudo e de qualquer coisa. Era quase um protótipo de ser humano. Era medroso e assustado. Tinha medo de ser feliz.

Foi até a geladeira, pegou mais uma cerveja, voltou para o Facebook.

Sua amada havia postado uma foto.

Ele curtiu.

1 comentário sobre “Amor em tempos de likes”

  1. Pingback: No meu blog: Amor em tempos de likes | jnts.com.br

Deixe uma resposta