Glommy Sunday: a canção húngara do suicídio

Gloomy Sunday, ou Szomorú Vasárnap no título original em húngaro (algo como Domingo Sombrio em tradução literal) é conhecida como a canção húngara do suicídio. E não é por menos!

A canção foi escrita pelo pianista e compositor autodidata húngaro Rezső Seress em 1933. A letra é do poeta László Javor e o texto lamenta a morte de um amado, além de levantar uma promessa de reencontro com o amante na vida após a morte. A música se tornou popular na Hungria, mas foi associada a um elevado número de suicídios, incluindo o da ex-noiva de Javor.

Algumas histórias contam que várias pessoas saltaram no rio Danúbio segurando cópias da partitura, o que teria levado à proibição da apresentação pública da canção. Entretanto, tudo parece ser uma lenda urbana que justifica o elevado número de suicídios no país na mesma época, por conta de fatores como fome e pobreza. Curiosamente, Rezső Seress se suicidou 35 anos depois de compor a canção.

Por conta desse sucesso, digamos, mórbido, a canção ganhou várias traduções pelo mundo e diversas letras em inglês. A mais famosa delas é a de Sam M. Lewis, que destoa de todas as outras pois trata especificamente do suicídio em uma das estrofes. Porém, o autor termina a canção dizendo que tudo foi apenas um sonho.

Em 2011, Gloomy Sunday foi listada como uma das canções mais tristes de todos os tempos no blog Spinner, chegando em 2º lugar e perdendo apenas para Chicken Wire do Pernice Brothers.

Abaixo a versão de Billie Holiday, já com a letra, digamos, mais leve de Sam M. Lewis. A versão original em inglês, traduzida em versão literal do húngaro, pode ser lida aqui. A versão em inglês é apresentada no vídeo e se você quiser conferi-la em português, clique aqui:

Deixe uma resposta